Atletas de Força usam a creatina para obter mais algumas repetições nas suas séries e assim, acelerar o crescimento muscular. Neuro-psiquiatras da Universidade de Tóquio descobriram a uma década atrás que a creatina tem um efeito similar no seu cérebro, Se você toma creatina, você pode usar seu cérebro intensivamente por um período de tempo mais longo.

Em 2002, os pesquisadores japoneses publicaram na revista Neuroscience Research os resultados de um estudo em que eles utilizaram 24 estudantes , de 19 anos cada, como objetos de estudo.

Os estudantes somaram uma série aleatória de números num período de 15 minutos. Os pesquisadores usaram um teste chamado Uchida-Kraepelin da psiquiatria para mensurar a fadiga mental. Este teste determina que quanto mais números se somar, mais apto o indivíduo é, pelo menos em termos mentais.

Ao fim dos 15 minutos do exercício, os estudantes tinham um descanso de 5 minutos. A seguir, faziam mais 15 minutos. Os pesquisadores realizaram todo o procedimento duas vezes. Em uma ocasião os estudantes receberam 8g de creatina cinco dias antes do teste, na outra ocasião eles receberam um placebo. A creatina que os japoneses utilizaram no estudo vieram de Ezaki Glico.

Quando os estudantes tinham tomado a creatina, eles foram capazes de fazer mais somas. A pontuação das somas feitas por um típico estudante, com e sem creatina, são apresentados abaixo.

performance creatina, efeitos creatina musculos, creatina no cerebro

Utilizando o espectroscópio no infravermelho próximo, os pesquisadores foram capazes de estudar a composição do sangue no cérebro dos seus estudantes enquanto eles estavam fazendo somas. Eles viram que a quantidade do oxigênio que foi anexado as moléculas de hemoglobina no sangue. A figura acima mostra que o sangue no cérebro dos objetos de estudo tinham mais hemoglobinas sem oxigênio (Desoxy-Hb) do que, quando eles tomavam creatina.

creatina, efeitos creatina, creatina em pó, creatina nos músculos

Os pesquisadores também notaram que o número de moléculas de hemoglobina com o oxigênio era menor quando os estudantes tinham tomado creatina, do que quando eles tinham tomado um placebo. Esse estudo concluiu que a suplementação de creatina aumenta o consumo de oxigênio pelas células do cérebro. Estas células do cérebro trabalham mais arduamente se você tomar creatina, acreditam os japoneses.

“Nosso experimento pode sugerir uma nova linha de abordagem pra a redução de fadiga mental envolvendo creatina”, concluem os pesquisadores.


Fonte:
Apicella JM, et. al., Betaine supplementation enhances anabolic endocrine and Akt signaling in response to acute bouts of exercise., Março 2013